Destaques

12.09.2018 às 09:00hs

Alunos do Univag visitam o aterro sanitário Sanorte Ambiental

Os alunos do curso de Engenharia Ambiental do UNIVAG - Centro Universitário de Várzea Grande, realizaram uma visita técnica no aterro sanitário de Sorriso, gerenciado pela empresa privada SANORTE AMBIENTAL SANEAMENTO. A visita ocorreu no dia 08 de setembro na sede do aterro localizado no Distrito de Primavera do Norte, tendo como intuito apresentar as rotinas de operação do aterro sanitário e seus programas ambientais.

A engenheira ambiental Renata Grasel responsável pelo empreendimento apresentou os processos de coleta, transporte, pesagem e deposição dos resíduos sólidos provenientes de 14 municípios do norte do Estado de Mato Grosso. Entre ao temas abordados ela explanou sobre a importância de monitorar a célula do aterro para controle e mitigação de processos erosivos e desmoronamento do talude utilizando geotecnologias. Foram apresentadas as duas formas de tratamento dos produtos gerados pelos resíduos sólidos em decomposição como: a queima do gás metano por meio de ductos conectados em toda célula do aterro e o tratamento do chorume por meio de uma estação de tratamento de efluente contendo lagoas de estabilização e lagoas anaeróbicas. Como controle do efluente a ser lançado na lagoa de contenção, foi apresentado o tratamento físico-químico por meio de produtos reagentes como o Sulfato de alumino ferroso e policloreto de alumínio.

O Professor, membro do corpo docente do curso de Engenharia Ambiental do UNIVAG, e Biólogo responsável pelos programas ambientais do aterro Cézar Santos explicou como os programas atuam mitigando os possíveis impactos ambientais. O mesmo frisou sobre a importância da cortina vegetal na minimização dos odores provenientes da decomposição dos resíduos na área de entorno, outro programa ambiental apresentado foi o PRAD elencando aos alunos a importância do plantio de 20 mil espécies vegetais nativas do cerrado e da Floresta Amazônica. Os alunos tiveram a oportunidade de adentrar na mata virgem para observar os mananciais inseridos na área de influência direta do empreendimento e associar o programa de monitoramento de qualidade de água superficial para garantir a biodiversidade aquática da região.

Fonte: Coordenação de Engenharia Ambiental